BARONS

BARONS

Liga da Justiça – Bom, porém não épico 




Não foi culpa do bigode!




liga da justiça - cartaz

Já ouviu falar que quando algo começa errado, tende a terminar errado? Então, o universo compartilhado da DC nos cinemas é um exemplo de algo que começou errado.

A DC tinha duas opções, seguir o exemplo de sucesso da sua rival Marvel e fazer uma apresentação gradual dos heróis, culminando no encontro entre eles, ou então sentir a pressão causada pelo sucesso do seu maior concorrente e atropelar o planejamento.

Só que além de ter escolhido a segunda opção, tentando correr atrás do tempo perdido, a DC quis ir para um lado diferente do que a Marvel seguia, fazendo filmes mais sérios – o que é extremamente louvável, exceto pelo fato de novamente sucumbir a pressão e mudar de ideia no meio do caminho, desfigurando alguns dos filmes que seriam a base do seu universo.

O caminho até aqui

Tudo começou com o Homem de Aço, que é um puta filme, e digo isso com todas as letras, mas já tiveram aqueles que reclamaram que o Superman “real” não mata e nem destrói metade de uma cidade.

Então veio Batman vs Superman, onde gastaram não só uma, mas duas das melhores histórias da DC, já logo no segundo filme da “franquia”, e se antes o problema era o Superman matar, agora temos o Batman também mata geral (e não tenho problema algum quanto a isso). Mas enfim, foi um filme ainda mais sério que Man of Steel.

Na sequência chegamos ao fundo do poço (mesmo eu achando que não havia um poço) em Esquadrão Suicida, que o primeiro trailer mostrava um filme sério, porém BvS estava em cartaz na mesma época e foi criticado na sua primeira semana, então faltando três meses para a estreia, o ‘Esquadrão Suicida’ ainda estava passando por refilmagens para deixar o filme mais “divertido”.

Praticamente um ano após a tragedia que foi ‘Esquadrão Suicida’, estreou ‘Mulher Maravilha’, o filme que deu esperança aos fãs da DC e de super-heróis de maneira geral. Quase sem ligações com os outros filmes já lançados, usando humor e drama nas doses certas.

Até que chegamos aqui, o quinto filme do “universo compartilhado” que juntaria não só Batman, Superman e Mulher Maravilha, mas outros três heróis que ainda não haviam sido apresentados e já estreariam no filme mais importante dessa expansão de universo cinematográfico. E é dele que falaremos a seguir (até porque é isso que o título do post promete).

O bom filme que precisava ser excelente

Vingadores é um filme excelente e épico, mas esses adjetivos não são só derivados do filme, o contexto onde é lançado também é extremamente importante. Foram 5 filmes “individuais” que se não eram todos ótimos, pelo menos eram “inovadores” no sentido de universo compartilhado, e culminaram em um grande filme juntando os heróis já apresentados, coisa nunca antes vista, pelo menos não desse tamanho e com tamanho planejamento.

Liga da Justiça

Cheio de ótimas cenas, mas na hora de juntar tudo…

A expectativa era de que Liga da Justiça fosse algo ainda maior, já que querendo ou não, a tríade da DC é/era mais conhecida que os heróis da Marvel e já tinham algo em que se espelhar, exatamente o sucesso da maior concorrente.

Mas o filme enfim saiu e os personagens até cumpriram bem o que (eu) esperava, mas a história e o filme como um todo nunca se aproximou do épico e pela expectativa que se tinha, foi um filme simplesmente medíocre.

O que deu certo, e onde falhou
Personagens: média positiva

Como já dito, gostei dos personagens, falando só sobre os estreantes, Ezra Miller ficou excelente como Flash, encarnando muito bem o personagem e sendo genuinamente engraçado; Jason Momoa também, foi o cara certo para tirar um pouco da fama de inútil e do bobão do grupo que o Aquaman ganhou nos Superamigos e só aumentou desde então; e até o Ciborgue que eu tinha certeza que seria um dos pontos fracos do filme, fez bem a sua parte.

Pra ser sincero, até do vilão eu gostei, concordo que ele poderia, e deveria ter outro visual, mas teve um bom papel no filme, além de ser um dos vilões mais justos do cinema, no que se refere a motivação e atos.

Lobo da Estepe - Liga da Justiça

Não precisava inventar e nem gastar tanto no visual do vilão

Sobre Batman e Mulher Maravilha, seguem ótimos, até do humor do morcego eu gostei, agora o Superman foi um dos pontos fracos do filme, Henry Cavill me fez gostar do Superman pela primeira desde sempre, mas nesse filme em especial o Homem de Aço só serviu como dor de cabeça. Além da polêmica do bigode, o Superman não foi nada além de um ‘Deus Ex Machina’, adicionado ao filme para decidir tudo, fácil e rápido.

Outros povos: Amazonas x Atlantis

A cena das Amazonas é simplesmente maravilhosa, provando mais uma vez que a Mulher Maravilha poderia ter um filme todo em Temiscira. Na verdade essa cena em especial é tão boa que a própria Diana nem é necessária.

Tudo, desde o visual, até o empenho demonstrado pela povo 100% feminino é excelente e colocavam até o momento, o filme num patamar que ele não chegaria mais.

Guerra - Liga da Justiça

Como um filme com uma cena dessas consegue cair tanto de qualidade

E quando falamos em não voltar mais ao mesmo nível de qualidade, chegamos a cena em Atlântida, onde sobra para uma só mulher, Mera, não só sobreviver ao ataque d vilão, como também proteger o item que ele buscava… Que feio hein Atlantis e AquaMomoa.

Resto: média regular

O filme começa bem com o recrutamento dos novos heróis, e pra ser sincero essa primeira metade estava no nível que se esperava, o problema foi na hora de brilhar, tudo depois da ressurreição do Superman poderia ser refeito, a batalha em lugar nenhum que não causa uma real sensação de perigo, os minions que magicamente somem… Tudo poderia ser pelo menos mais empolgante.

Superman - Liga da Justiça

Só para ser mais apelão até sopro o cara usou

Não assisti logo na estreia, por isso já tinha a ideia de que o filme não era aquilo que se esperava, e até por isso até a metade do segundo ato eu estava achando estranho a enxurrada de criticas negativas que o filme estava recebendo, até que os problemas começaram e não pararam mais até o final do longa.


É fato que enquanto a DC não se decidir sobre o que será do seu universo compartilhado nos cinemas, o sucesso imaginado não chegará. O sucesso estrondoso de Mulher-Maravilha mostra exatamente isso, o filme não é tudo isso, mas pelo padrão apresentado pela DC/Warner até agora, o filme solo dela é uma obra prima.

O problema maior nem é se os filmes serão sombrios e realistas ou coloridos e divertidos, mas as mudanças durante as gravações de acordo com feedbacks do público, criando “Frankensteins” como ‘Esquadrão Suicida’ e o próprio ‘Liga da Justiça’.

Decidir antes e seguir cronogramas são as chaves para a DC e Warner, dinheiro eles tem, e atrasado em relação a concorrência eles já estão, então o que resta é planejar e fazer o trabalho direito.


Tags do post:


0 Comentários

Deixe o seu comentário!