BARONS

BARONS

O que as bilheterias de 2016 nos dizem sobre os filmes




Quase nada de Oscar




TOP 15 de bilheteria mundial dos filmes lançados em 2016 (valores atualizados com renda arrecadada em 2017 também):
1 Capitão América: Guerra Civil
2 Rogue One: Uma História Star Wars
3 Procurando Dory
4 Zootopia
5 Mogli: O Menino Lobo
6 Pets – A Vida Secreta dos Bichos
7 Batman vs Superman: A Origem da Justiça
8 Animais Fantásticos e Onde Habitam
9 Deadpool
10 Esquadrão Suicida
11 Doutor Estranho
12 Moana
13 The Mermaid (Mei ren yu) (hahah filme Chinês maluco: mais sobre)
14 X-Men: Apocalypse
15 Sing – Quem Canta Seus Males Espanta

1- Mais um ano dos Super-Heróis

Sejam filmes bons ou ruins, com altíssimo orçamento ou modesto, todos os seis principais filmes de super-heróis (baseados em quadrinhos) estão entre os TOP 15 de bilheteria, na verdade entre os TOP 14 o que nos leva ao fato de que quase metade das maiores arrecadações nos cinemas em 2016 é de super-heróis.

Capitão América Guerra Civil

Capitão América com bilheteria de Vingadores

Mesmo tendo sido um ano um pouco atípico com Batman Vs Superman e do outro lado Homem de Ferro Vs Capitão América, que tem imenso apelo e levou multidões aos cinemas (mesmo com as criticas a BvS), o calendário de filmes para 2017 tende a fazer com que as bilheterias sejam ainda mais dominadas pelos heróis.
Teremos a despedida em alto estilo de Hugh Jackman em Logan, depois a continuação mais aguardada da história dos heróis, com Guardiões da Galáxia Vol. 2 (e baby Groot), na sequência temos a musa Mulher Maravilha chutando bundas e tentando retomar a esperança na DC, seguida pela tão esperada estreia do Homem Aranha na Marvel, fechando os filmes da Marvel teremos o Ragnarok e Hulk gladiador no terceiro filme de Thor, e para fechar com chave de ouro (esperamos) a Liga da Justiça!

Ou seja, as bilheterias de 2016 nos indica que 2017 será épico!!

2- Desenhos animados também são arte e dão dinheiro, MUITO dinheiro!

Desenhos animados sofriam de um forte preconceito por serem consideradas obras menores, quase que exclusivamente para crianças, até que toda uma geração que cresceu assistindo Toy Story chegou à maioridade e as animações (principalmente Pixar) começaram a ter cada vez mais conteúdo, sendo divertido para crianças e também passando belas mensagens para os adultos.

Se em 2015 tivemos ‘Minions’ e ‘Divertida Mente’ no TOP 10, 2016 conseguiu emplacar 3 filmes no ranking dos 10, ‘Procurando Dori’, ‘Zootopia’ e ‘Pets – A Vida Secreta dos Bichos’, sendo dois deles no TOP 4. E mais dois no top 15, com Sing e Moana que apareceram na lista de última hora.

Moana

Quase ficou de fora de post por ter conseguido aumentado a bilheteria até fevereiro.

Nesse caso, Pets se enquadra na mesma categoria dos Minions, personagens extremamente fofos, que todo mundo ama e que deu muito dinheiro mesmo não sendo muito bom. Procurando Dori é a prova de que a geração de crianças que assistiu Procurando Nemo, já não se importa em ir ao cinema assistir “desenho”, simplesmente quer ter a nostalgia e aproveitar uma boa e divertida história. Por fim Zootopia se enquadra no mesmo gênero do sucesso ‘Divertida Mente’, uma história divertida para crianças e cheia de lições para os adultos, conseguindo conquistar a todos.

Finalmente não é mais chato levar as crianças ao cinema.

3- X-Men perderam muita moral mesmo

Podemos demonstrar no que se transformou a franquia X-Men no cinema com algumas simples perguntas: Você sabe quem é Deadpool, Esquadrão Suicida e Doutor Estranho? Você já os conhecia antes do anúncio dos filmes? Você conhecia e gostava mais deles do que dos X-Men? Se sua resposta para todas essas perguntas foi sim, você é esquisito, muito estranho na verdade.

Particularmente eu já conhecia os 3 e gosto muito das HQs do Esquadrão Suicida, mas X-Men sempre estiveram entre os super-heróis mais famosos do mundo, até a chegada dos filmes da Marvel eles disputavam com Hulk, Homem Aranha e Quarteto Fantástico esse posto de heróis Marvel favoritos, e a cada novo filme lançado a franquia só cai.

Com algumas ressalvas eu gostei do filme, e até falamos sobre AQUI, mas ele não consegue deixar a sua marca, você assiste e só, não gera discussão, expectativa para seqüência e nem aquela vontade de assistir novamente e por isso cai no esquecimento.

Achei o filme melhor que o Esquadrão Suicida, mas nem lembrei que ele saiu ano passado sem pesquisar antes.

A Fox conseguiu a proeza de rebootar a série e dois filmes depois já deixar toda a linha temporal zoneado novamente, simplesmente lamentável.

Será que é melhor ser ruim, mas gerar discussões ou ser mais ou menos e ser esquecido?

4- Independente da história, se tem Star Wars no nome, dá dinheiro

Primeiro de tudo, esse é o motivo primordial do subtítulo ser ‘Uma História Star Wars’, mesmo sem ter ninguém conhecido pelos fãs normais de Star Wars (com exceções das participações especiais), e até mesmo sem sabres de luz o filme ficou na segunda posição do ano e já se tornando o segundo filme de Star Wars com maior arrecadação.

Rogue One capa

O melhor final do ano

O filme é ótimo, como falamos dele aqui – Rogue One: Realmente uma história de Star Wars – mas juro que me assustei com a segunda posição (lembrando que o ranking considera o ano de lançamento do filme, como saiu só em dezembro, não conseguiria essa posição só com a bilheteria de 2016), se Rogue One conseguiu tudo isso, imagina em 2017 – ‘The Last Jedi’, com a volta dos personagens de ‘O Despertar da Força’, a despedida de Carrie Fisher e a confiança de todos que a Disney sabe como fazer Star Wars…

5- O Mundo continua amando o universo Harry Potter

Quando eu digo que todo MUNDO continua amando o universo Harry Potter, eu quero dizer o mundo mesmo, Harry Potter sempre conseguiu muito mais arrecadação fora dos EUA do que na terra de Hollywood, muito disso pela popularidade dos livros no mundo todo e o fato dos filmes se passarem na Europa, mais especificamente na Inglaterra.

E essa nova abordagem da franquia manteve a escrita e teve 71% de sua arrecadação fora dos EUA, ficando com a 4ª posição nas bilheterias de 2016 considerando somente os números “do estrangeiro”.

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Não falamos do filme no site, mas Animais Fantásticos manteve o nível muito alto da franquia

Como já dissemos a Inglaterra (Reino Unido na verdade) é um dos lideres de bilheteria do filme, mesmo esse se passando nos Estados Unidos, o povo britânico manteve o amor por JK e o universo de Harry Potter, mas quem merece todo o carinho da Warner e da JK Rowling é o Japão, é incrível como o povo japonês abraçou a série desde o começo, sempre estando entre os top 3 países em termos de bilheteria mundial, tanto que até receberam uma área temática no parque da Universal por lá.

Mas o grande diferencial de ‘Animais Fantásticos e Onde Habitam’ é que ele teve uma bilheteria alta em vários países, não chegou a ser o líder em nenhum lugar (foi segundo no Reino Unido), porém se manteve entre os tops em vários lugares.

Taí uma franquia que podemos chamar de “Sucesso Mundial” sem nenhuma dúvida!

6- Ainda não foi o ano de filmes baseados em games

Warcraft tinha tudo para ser o primeiro de uma série de filmes baseados em games no nível de qualidade dos filmes de super-heróis, mas diversos motivos impediram isso, não concordei com a maioria deles (ver aqui: Warcraft pelos olhos de um leigo), acho que o filme teve problemas como qualquer filme normal, nada mais e nada menos.

Warcraft_cartaz

O mais injustiçado do ano

Mas isso prova como fãs nerds xiitas são mimizentos, a Marvel merece todo o dinheiro que vem ganhando por esse simples motivo, ter conseguido conquistar os fãs nerds. Vemos até hoje (começo de 2017) a DC sofrendo com isso, ‘Man of Steel’ é muito bom e ‘Batman Vs Superman’ é bom, mas não adianta, eles são punidos pelos mesmos espectadores que criticam os filmes de games, aconteceu de novo com Warcraft e esperamos que não aconteça com Assassin’s Creed.

Tomara que a China consiga bancar uma continuação de Warcraft.

7- A China salva orçamentos

Continuando o tópico anterior, a imagem abaixo mostra a arrecadação de Warcraft fora dos Estados Unidos, só para deixar bem claro sobre esses números, se os EUA estivessem no gráfico, ele teria o dobro do arrecadado na Rússia, veja a diferença…

Tradicionalmente em questão de bilheteria, os especialistas dividem a arrecadação em duas fontes, Estados Unidos e Resto do Mundo, só que a cada ano que passa a China vem se aproximando mais dos números americanos e se distanciando dos outros países, tornando a nomenclatura cada vez menos correta.

the-mermaid

Até as bizarrices deles dão dinheiro – The Mermaid – top 13 mundial

No caso de Warcraft vemos um filme que se sustentou praticamente só da China, mas atualmente, antes de lançar um blockbuster, os estúdios já se planejam para adequar suas obras para poderem explorar o mercado Chinês

8- Também não foi o ano das continuações e/ou remakes e/ou reboot

É claro que existem exceções, já que o líder de bilheteria, é uma seqüência de Capitão América, Procurando Dory é uma seqüência de Procurando Nemo e ainda temos as continuações de franquias como Star Wars e Animais Fantásticos e Onde Habitam.

Alice através do espelho

Nem assisti, mas já não gostei

Porém temos que lembrar que Independence Day ganhou uma continuação custando o dobro do original e arrecadando menos da metade do filme estrelado por Will Smith. As Caça Fantasmas também sofreram com as criticas que afastaram os espectadores, então mesmo com um orçamento gigante em comparação com o primeiro filme de 30 anos atrás, a arrecadação ainda ficou abaixo do filme de 1984.

Quem em sã consciência achou que seria uma boa idéia fazer o remake de um filme vencedor de 11 Oscar e que marcou época pelos números absurdos de produção??? Pois é tentaram apresentar Ben Hur a uma nova geração de espectadores e nem preciso dizer que não deu NADA certo! Não tem nem como comparar os dois, já que o remake não recebeu sequer indicações para prêmios importantes e nem conseguiu pagar seus gastos de produção. Idéia idiota, resultado esperado!

Entrando no gênero comédia adolescente, tivemos Vizinhos 2, que mesmo tendo recebido criticas decentes (vindas dos meus amigos) o filme também não conseguiu nem sequer alcançar metade do arrecadado pelo primeiro.

Outro filme que decepcionou nas bilheterias foi ‘As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras’, nesse caso muito mais pela má impressão causada pelo primeiro filme, dirigido por Michael Bay. Nem mesmo a entrada de “Arrow”, Rocksteady e Bebop salvaram a arrecadação, que só conseguiu metade do filme de 2014.

Além de vários outros filmes que não empolgaram tanto e não conseguiram passar a bilheteria do filme anterior como X-Men, Star Trek e Um Truque de Mestre e foram mais ajudados pela bilheteria internacional que a “domestica”.

Mas só para fechar, vamos lembrar da “Alice”. Por alguma razão (sim, eu não assisti e estou criticando) ‘Alice no País das Maravilhas’ dirigido por Tim Burton em 2010, passou da marca do bilhão em arrecadação. O mais óbvio a se fazer num caso de sucesso como esse seria uma sequência imediata. Porém Burton não aceitou dirigir uma continuação e o filme demorou 6 anos para sair. Resultado, os efeitos especiais não bastaram para que ‘Alice Através do Espelho’ arrecadasse pelo menos metade do seu antecessor e sofresse com as críticas pesadas ao roteiro.

E o Brasil?!

Pouco falamos do Brasil porque ele ficou entre 5ª e 6ª bilheterias mundiais na maioria dos TOP 15, com exceção de ‘Civil War’ que foi muito acima da média, o Brasil ficou próximo a outros países gigantes como México, Rússia e Índia, e também países ricos como Austrália, Itália e Reino Unido.

Vários fatores fazem com que o Brasil mesmo sendo gigante, não se destaque tanto nas bilheterias, o mais obvio é a pirataria, mas não é o único motivo já que o download ilegal de filmes na China, Rússia e Estados Unidos consegue ser maior que a daqui.

Acho que o problema do brasileiro é na realidade o ato de ir ao cinema, por dois motivos:

Primeiro, o ingresso para um filme é barato (na minha cidade com R$ 12,00 dá dois ingressos 3D durante a semana), então como a renda é calculada em dinheiro e não em expectadores, o Brasil tende a ficar para trás.

O segundo ponto que é a parte inconveniente, porque para ir assistir um filme com a(o) namorada(o) por exemplo, são dois ingressos, vamos considerar que isso aumenta em R$12 a renda total do filme, porém no caminho você paga mais R$10 no estacionamento do shopping e pelo menos mais R$30 em um combo com pipoca e refrigerante… Ou seja, os brasileiros não são tão relevantes quanto poderiam para as bilheterias, mas são extremamente relevantes para as redes de cinemas e shopping centers do Brasil.


Para fechar, o que continua sendo padrão é que não temos os blockbusters brigando pelos prêmios mais importantes no Oscar, e é assim que continuará sendo por diversos motivos, desde idade até inveja dos membros da associação que votam. Mas para falar verdade o que vale é dinheiro no bolso e enquanto os estúdios, diretores e atores continuarem ganhando dinheiro, continuaremos tendo essa enxurrada de filmes de super-heróis, ação, fantasia e animações, que é o que todos nós amamos.


Tags do post:


  • Daniel Sousa

    Show Barons! Parabéns pela matéria!

Close